terça-feira, 16 de junho de 2009

Alvorada



Amanheceu de repente. Os olhos, há tanto acostumados à penumbra, viram-se confusos, alternando momentos de estupefação com aquele brilho intenso da felicidade que não cabe no intimo e, portanto brilha .

Amanheceu de repente. O corpo, que por longos anos viveu escravo de lembranças, deparou-se subitamente com sua carta de alforria.

Amanheceu de repente. A alma, que navegou tortuosamente buscando qualquer local onde fosse possível lançar ancora, encontra finalmente um porto seguro.

Amanheceu. O corpo acorda lentamente, espreguiça-se quase de forma lasciva. Os olhos se abrem e deparam-se com outros olhos, de um brilho tão intenso, que lembram faróis em meio a um conturbado mar.

Amanheceu. E dia algum poderia ser mais perfeito, pleno e estonteantemente feliz.



Crédito de imagem: Genrikh

4 comentários:

O Sibarita disse...

Oi que bom! Voltou a postar, é? kkk

Moça, tão porreta quando o amanhecer nasce renovado, cheio de esperança e firmações.

Tomara que esse amanhecer lhe traga de volta para novas e sempre postagens, você é imprescidivel...

Tudo de bom para você!

bjs
O Sibarita

Maria Auxiliadora N.F.Nery disse...

Oi Lú.
Fico muito feliz em te sentir assim:"Viva".
Bjs da Dora.

Sonia Regly disse...

Que texto lindo!! Estou muito feliz, pois vc retornou a postar. Obrigada por compartilhar conosco coisas boas, textos que nos toca. Muitos beijinhos

Josemar Pires Ribeiro disse...

Oi... depois de longas ferias de blogs, volta a ler textos lindos como este... é muito bom amanhecer feliz.....parabens....
abraços