quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Quasar



Inebriante.
Inexplicável.
Inigualável.


Perfeitamente completo,
Completamente perfeito.
Me mantém sob seu jugo,
É senhor de todo efeito.


Me vira, revira,
Me faz levitar
Aperta meu peito
Me tira o ar.


É fascínio,
É quase um estertor,
É paixão pura,
É o mais terno e significativo amor...


Lucia Vianna



Imagem retirada da internet

20 comentários:

Maripa disse...

Que lindo poema de amor querida Lucia...sinto que está feliz e sinto-me feliz por isso.

.......
"Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure." Vinicius

Beijo carinhoso,amiga.

Sonia Regly disse...

Lúcia,
Que delícia ler esse seu poema.Muito lindo!!!! O amor está no ar...

Etelvina de Oliveira disse...

Lindo!
Adorei, Lucia.

O amor tem esse poder: nos subjugar deliciosamente.



beijos, amigaaa

Dora disse...

Lú,

Que forma linda e apaixonante de transbordar felicidade.
Muitos beijos da Dora.

Lucia disse...

Maripa:

Sim, minha querida amiga, estou feliz como há muito tempo não me sentia. Sabe quando parece que o mundo se abre e tudo o que poderia dar certo acontece de uma só vez? Então.. é como se eu tivesse ganhado todos os meus presentes de aniversário e Natal em um só dia..rs. Minha vida está perfeita, em todos os aspectos, e isso me faz imensamente feliz. Bom saber que compartilha da minha felicidade.
Beijo muito carinhoso

Lucia disse...

Sonia:

Não só o amor está no ar: a vida está no ar!!!
Beijos

PS: Passou o susto?

Lucia disse...

Etel:

Você anda muito séria aqui, menina.
Quando vai vir me visitar? Estou te esperando em minha casa, viu?
Beijossssssss

Lucia disse...

Dorinha:

Para ser perfeito só falta você aqui, minha amiga-irmã.
Adoro você!
Beijos

Oliver Pickwick disse...

O melhor desta poesia é o seu ritmo na velocidade de um quasar. Ritmo e sonoridade na poesia, são técnicas para iniciados nos labirintos do sentimento.
Um beijo!

P.S.: Estamos em misteriosa sintonia, pois na continuação do meu post - que sai amanhã, também utilizo o termo quasar. Naturalmente que, em outro contexto;

P.P.S.: a boa gente do condado agradece pela visita e palavras gentis que lá deixou. ;)

Lucia disse...

Oliver:

Estou aguardando ansiosamente a continuação do post. Diga a gente do condado que não há o que agradecer, pois caminhar por lá é uma experiência no mínimo enriquecedora.
Beijos

Rai pires disse...

Perfeitamente perfeito.Muito lindo .Bjss Raimundo Pires

Lucia disse...

Rai:

Bom vê-lo novamente! Que bom que gostou.
Beijos

Odele Souza disse...

Lucia,

Estou contente que a alegria esteja sendo a matéria prima de tua poesia.

Beijos.

ju disse...

Rítmo de tirar o fôlego... Tal qual nos sentimos quando amamos, - desejando ardorosamente que tudo ocorra num tempo e espaço que que satisfaça aos nossos mais íntimos anseios. Maravilha!

Amar é mesmo tuuudo de bom!

Maravilha!

Bjs e inté!

O Sibarita disse...

Rapazzzzzz! O quasar é fia? Humm... kkkk

Já voltou sua menina? Que bacana!

Um ser de estrema luminosidade nos confins do universo, e é? kkkk

Dona Lúcia, que porreta essa alegria, essa vida, essa paixão contagiante ainda que seja há dois bilhões de anos-luz da terra!kkkkk

Fia desculpe a demora em vir aqui estou atarefado de trabalho e também viajando tô esse tempo sem ir aos blogs amigos, até o meu tô postando uma vez ou outra quando tenho tempo.

bjs
O Sibarita

Deusa Odoyá disse...

Olá querida amiga Lucia!.
Que musica mais gostosa de se ouvir...
è tão bom quando nos sentimos assim, leves e soltas no ar.
Na pureza na doçura e, na paixão.
Parabéns, amiga.
que sua semana seja abençoada por deus.
Sua amiga.
Regina Coeli.

Te aguardo em meu cantinho.

Lucia disse...

Odele:

É bom quando sentimos nossa alma cantando ritmos novos, né? Estou me sentindo assim: bailando ao som de novas músicas.
Beijos, querida

Lucia disse...

Ju:

Amar é mesmo tudo de bom, né? Muda as cores, os sabores, os cheiros.. enfim, intensifica a vida!
Beijos, menina

Lucia disse...

Siba:

O quasar, é? É sim..rsrs
Reparei mesmo que vc andava sumido, moço, mas achei que tinha a ver com a história do processo do espelho. Pensei cá com meus botões: o baiano teve que escafeder-se prá não ficar na miséria, já que o espelho se juntou com a papagaia e arruinou o coitado..rs
Beijos, e não trabalhe tanto

Lucia disse...

Regina:

Obrigada. Vc sempre com palavras gentis. Me aguarde no seu cantinho.
Beijos