domingo, 2 de agosto de 2009

Ah, Damiana!





Chora, Damiana, chora!
Pelo passar da hora
Pelo leite derramado
Pelo trem atrasado
Chora pelo tempo que passou...

Chora, Damiana, chora!
Pelos sonhos perdidos
Pelos sentimentos evadidos
Pelo amanhecer sem colorido
Chora pela vida que se foi...

Chora, Damiana, chora!
Deixa o peito se esvair
E então, Damiana
Será hora de olhar no espelho
Ajeitar o cabelo
E finalmente sorrir...

Poesia: Lucia Vianna e Paulo Moreira

3 comentários:

Rai pires disse...

oi lúcia,quantas Damiana temos por ai.Bjsss Raimundo Pires

Ricardo Calmon disse...

Abraço os poetas,belo blog esse!
onraria toda sria seguidores sermos !

Viva Vida!

Oliver Pickwick disse...

O ritmo é tanto que a poesia, bonita por si só, também seria uma bela alternativa para a letra de uma canção.
Parabéns a este trabalho "a quatro mãos".
Abraços!