domingo, 24 de agosto de 2008


É preciso algo que nos preocupe

Para acabar com a monotonia.

Briga com a sogra, duvida

De tua vida, de Deus, de tudo,

Das próprias coisas que melhores julgas,

Porque, na verdade,

Não há nada mais chato na vida

Do que um cachorro sem pulgas...



[Mario Quintana; Velório sem defunto, 1990]

7 comentários:

Sonia Regly disse...

Lúcia,
Mário Quintana era engraçado, não?? Realmente nós precisamos ter algo sempre pra fazer, ocuparmos a mente. Mas cachorro com pulgas, ninguém merece!!!! Huahuahuahauahaua1

Lucia disse...

Sonia:

Se nunca tivermos uma "pulguinha" a nos cutucar... que tédio seria a vida, né? rss
Beijos

Dora disse...

Lu,
Assisti domingo uma entrevista da Adélia Prado em que ela dizia exatamente isso. Os temperos que deve haver no nosso cotidiano.Alguns amargos inclusive.Mas são eles que acabam dando sentido à nossa existência.A velha "pedra no meio do caminho".
Sem os temperos e as pedras no nosso caminho, que sem graça seria viver,não?!Somos movidos pelos desafios e construções.Isso nos faz sentir vivos, mesmo que seja ao preço de algumas rugas, marcas de expressões tensas ou preocupadas, dentes pressionados, noites sem dormir. Porém, é isso que denota que estamos crescendo e vivendo.
O cachorro que não se coça, como se tivesse tocando um violão está perdendo a sua essência.
Bjs da Dora.

Pirada cheiro de Flor disse...

Dora:
Tive a oportunidade de assistir ao programa a que te referes na TV Câmara. Muito legal. Ouvir Adélia é sempre uma aula de como ser um Ser sensível (como se esse aprendizado fosse possível), mas quem descama um "peixe com um sorriso nos lábios trazido pelo marido após uma pescaria" tem autoridade pra nos cutucar, né?.

Moça Lúcia: Beijos cheios de carinhos e alegria. E parabéns pela escolha do texto do Quintana... adoro... A inércia é algo que me assunsta.

Lucia disse...

Dorinha:

É impossível se temperar todas as comidas com os mesmos temperos. Para algumas, basta um tempero simples; já outras, requerem que exploremos uma gama de condimentos diferentes. Como você disse, mesmo os amargos tem sua função e são eles, inclusive, os responsáveis pela qualidade final do prato.
Então.. que venham as especiarias.
Te amo, minha amiga querida

Lucia disse...

Pirada:

Inércia mata. E quem a vive, morre em vida.
Beijos super carinhosos para você

O Sibarita disse...

Oi dona moça retada!

Demorei, desculpe, tempo escasso.

É verdade, temos que nos preocupar com alguma coisa sim, isso, de vez em quando.

Se for sempre acaba a MONOTONIA, mas, fatalmente vai nos levar ao desespero, é ou não é?

bjs
O Sibarita