domingo, 29 de junho de 2008

Nuances do Amor





Quem não sonha com um amor redondinho? Quem não deseja viver em estado de amor perfeito, acordando e dormindo felicidade? Qual de nós, quando pensa em alguém para compartilhar a vida, não imagina aquela pessoa com a qual vai poder dividir pensamentos, sentimentos?

Parece que procuramos sempre algo muito simples. Basta que seja alguém com quem possamos conversar, dividir a xícara de café , os pontos de vista. Alguém que seja carinho e confiança em tempo integral. Alguém que nos enterneça com um olhar e nos enlouqueça com um toque apaixonado. Simples! Simples? Não!

O amor verdadeiro, aquele que se faz no dia-a-dia, não vive em tamanho estado de perfeição. Talvez por acontecer com pessoas reais, ou até mesmo por isso, ele é cheio de pequenas e grandes dificuldades. O outro, com quem dividimos nosso desejo de amar, é alguém que também tem sonhos, crenças, pontos de vista. É alguém que tem contas para pagar, acorda de mau humor, gosta de assistir futebol quando você quer namorar na varanda.

Seria justo questionar a qualidade ou profundidade deste amor somente porque ele não se encaixa exatamente naquilo que nós julgamos que seja amor? E depois, quanto das nossas inseguranças pessoais tendemos a levar para dentro dos nossos pseudo relacionamentos perfeitos, fazendo com que olhemos a atitude do parceiro a partir da ótica das nossas próprias dificuldades?

Amar é bom, é necessário.. Só não é perfeito. Isso não quer dizer que tenhamos que nos contentar com uma relação de segunda linha. Ao contrário, se soubermos separar dentro de nós o amor verdadeiro da ilusão poética de amar, com certeza conseguiremos vivenciar plenamente este sentimento que tanto buscamos.

O amor é, sem dúvida, maravilhoso. É algo que nos preenche, que resignifica nossa vida. No entanto, muitas vezes, o nosso medo de ser feliz é tão grande que, apesar de passarmos a vida correndo atrás do amor e da felicidade, simplesmente não os vemos quando eles estão na nossa frente. O medo nos cega e continuamos tateando na busca ilusória da perfeição.

Crédito de imagem: Remi Aerts

13 comentários:

paulo disse...

Lu:

O amor supera e concilia tudo. Leva o sonhador à lucidez necessária e o realista ao sonho...tb necessário. Lindo texto. Você continua passeando senhora das palavras. Puro sentimento.

Carinho

Lucia disse...

Paulo:

O equilibrio entre a lucidez e o sonho talvez seja um dos mais difíceis de se encontrar. Tendemos naturalmente a um dos polos, em razão das nossas vivencias, do que foi nossa história de vida. No meu caso é uma busca constante, o que já é forte indicativo de realismo em excesso..rs.
Obrigada pelo carinho.
Beijos

O Sibarita disse...

Oi Fia! O amor, é? Ah tá bom... kkk

Dona moça, para mim, o amor é a arte e a percepção ancentuada de duas partes imperfeitas que buscam o perfeito no outro.

Seu texto ta muito do porreta mesmo! O problema é como você mesma diz: o medo de sermos felizes nos leva sempre à procuras quando a felicidade está à nossa frente por vêzes.

Acho também que o amar passa por renúncias internas de ambas as partes para que se amolde um ao outro, o amor, a paixão é isso...

Ai eu olho o mar de Jauá nesse dia meio chuvoso e me vejo livre, leve e solto jogado nas buraqueiras e cadê ele o amor? Ai meu Deus do céu! Tomou doril, foi fia? Ah sei, sumiu, né? Então tá bom! kkkkk Me lenhei, é? Hummm... tá rebocado, piripicado!kkkxx Ei, me ajude ai, vá fia! kkkkkkkkkkkkkkkkkk


E a festa de São Pedro? Aqui no nordeste tem lugares que é mais festa que o São João! As viúvas, hummmmm aaiaiaiaia... kkkkkk Valhei-me São Pedro! kkkk

-Sibarita,está me chamando por quê?
-Eu??? São Pedro? Eu lhe chamei?
-Sim, olhe ai em cima mocinho, de quem é esse Valha-me São Pedro!
-Oxém! Hummmmm, é... kkkk
-Já sei você ta na secura e quer que eu coloque em suas mãos uma viúva, não é?
-Eeeuuuu...???
-Não precisa gagueijar é você mesmo!
-Mas...
-Oi vou botar nos seus braços uma enviuvada seis vêzes, é tão gente boa quer casar de novo!
-Peraí, peraí, assim, vou virar seu sete!
-E eu com isso? rsrsrsrs
-Vire sua boca prá lá seu Santo, quer me lenhar São Pedro? Tô fora disso! kkk
-Quero lhe lenhar não fiu, quero lhe aliviar... rsrsrs
-Xiii... que alivio retado esse! kkkx
-Quer não, é?
-Pô! Santo insistente retado... kk
-Oi já dei as idéias a ela e tá por ai em Jauá...
-O que? Ô secretária! Guarda essa rede ai que eu já estou me picando... que nada, oxente...
-Secretária: Seu Sibarita, o que teve ômi de Deus? Morreu alguém? Iiii... ele abriu o gás rapidinho, essa gente tirada a intelectual tem é arte, é tudo doido mesmo! Eu sempre desconfiei que ele tem uma bola de menos, oi a prova ai... Eu é que não vou trabalhar mais numa doidera dessa, vou nada! Isso é casa de louco, o ômi largou tudo aqui até o computador que dorme e acorda com ele, se picou só com a roupa do corpo a bermuda e nada mais, vou é arrumar meus trapos e correr mundo, ora se vou! Cruz Credo, Desconjuro!
-Ô de casa!
-Diga senhora.
-Aqui é casa do Sibarita?
-É sim!
-Ah quero falar com ele...
-Dona moça velha, ele acabou de sair numa doidera danada. É algum problema? A senhora conhece ele?
-Não, é que tive um intuição de São Pedro para vir até aqui... Sou viuva!
-Ai meu Deus! Senhora, já estou de saida e nem posso lhe dar muita atenção...
-Por favor diga a ele que a viúva esteve aqui, dê o número do meu celular, se o dele não tiver crédito que ele me ligue a cobrar, tá ouvindo? Estou indo, obrigada!
-Sim tô! Tá bom eu falo, tô dizendo que esse povo é tudo maluco. Esse seu Sibarita me arruma cada uma! Veja o que ele tá procurando, é doido mesmo, uma viúva dessa toda arregaçada, será que ele é cego? É o jeito é rir rsrsrssrrs Vai se arrobar todinho! Quer ver arrepare... rsrsrsrsrs

-Pssiuuu... pessoal, sou eu o Sibarita, a viúva já foi? Ah tô escondido aqui atrás da vegetação, deitado que nem cobra se arrastando pelo chão... kkkkkkkkkkk

bjs
O Sibarita

O Sibarita disse...

Ei, fia vou falar baixinho para a Viúva não saber que estou por aqui. kkkkkkkkk

Dona moça que defeito é esse no blog? Você não consegue acessar? tenho que saber o que é.
Se não se importar escreva-me dizendo o que é sibarita@terra.com.br

Lúcia, a viúva já foi? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

bjs
O Sibarita

Etelvina de Oliveira disse...

Oi Lu,
´
Talvez seja mais fácil assim. O medo de ser feliz faz com que nos prendamos aos sonhos.

Vou fazer uma comparação (adoro isso kkkkk)
Quando nos apaixonamos entramos de cabeça como se mergunhassemos em um rio. Quando nos vemos em meio as águas, tranquilas ou sedutoras, dai vem o medo de não conhecermos realmente aquelas águas. Não sei porque começamos a duvidar da segurança, entra o medo de ser fundo demais, de ter pedras, corredeiras. Por quê estou aqui?
Não seria melhor uma piscina? Uma praia deserta? Passear nas dunas?
Vamos saindo sem mesmo perceber.
Dai, já na margem olhamos pra água e ficamos sem saber se voltamos ou não. Então vamos nos acostumando com a paisagem. E valorizamos tanto as pedras, a areia, a água barrenta, os perigos que, muitas vezes, até os bons momentos que nadamos esquecemos. Poxa, chegamos até o meio.
Valeu a pena simmmm

credo nunca escrevi tanto para não dizer nadica. kkkkkkkkk

beijos

Pati disse...

OI,guriaaa
Adorei o texto,concordo e assino embaixo,eu mais do q ninguém devo saber q amor não é perfeito,né??rsssss
Beijo grande e melhoras aí,se cuide !!

Maripa disse...

O seu texto é lindo. Amar é bom,é necessário e também maravilhoso.Mas eu penso que a busca pela perfeição,numa relação, passa por :muito amor,cumplicidade,respeito mútuo,tolerância,cedências de ambas as partes...

A felicidade perfeita penso que não existe...Para mim, a soma dos momentos felizes já é felicidade (não perfeita...)
(Já conto com 53 anos de casada... o que é obra!)

Beijo carinhoso,querida Lucia

Sonia Regly disse...

Lúcia,
Amiga, estou maravilhada com seu texto.Lindo!!!! Ah!!! O amor, ele nos faz sentir que estamos vivos e que é preciso ser feliz, senão a vida não tem graça.

Lucia disse...

Sibarita:

Vou falar bem baixo também, tá?
TIRA A VIUVA QUE ESTACIONOU NO MEU BLOG !! morrendo de rir, aqui
Beijos, seu moço

Lucia disse...

Etel:

Estou rindo de você, aqui.Falou, falou, falou.. mas nadar que é bom, mesmo, nadica de nada. Vamos prá agua, menina..rs
Beijosss

Lucia disse...

Pati:

Você sabe que o amor perfeito é o que é perfeito para nós.. e isso basta. O resto é utopia..rs
Beijos, querida

Lucia disse...

Querida Maripa:
Penso que uma das coisas mais fascinantes da internet é essa possibilidade de conhecer pessoas que, em outras circunstâncias, possivelmente nem saberíamos que existem. É por isso que, agora, estou aqui sentada, pensando em como fazer chegar ao outro lado do oceano a resposta ao carinho que sinto emanar de você. É interessante a sensação que tenho de conhecê-la, mesmo te sabendo tão pouco. Imagino que isso se deva a delicadeza de sentimentos que é possivel entrever no que escreve. Seus comentários, também, vão pouco a pouco desenhando a pessoa que os faz, de forma que junto todo o quebra-cabeças e começo a ter uma visão da sua pessoa. E lhe digo: gosto muito do que vejo! Concordo com o que disse sobre o amor: ele só pode existir se houver respeito, cumplicidade, tolerância, cedência. Não importa que se trate de amor entre parceiros, entre pais e filhos, irmãos, amigos..mudam os personagens, mas a essência do sentimento há que permanecer inalterada. Se conseguirmos fazer com que isto aconteça podemos sim ser felizes, pois manteremos dentro de nós um estado constante de bem estar, mesmo quando as coisas não estiverem tão direitinhas como gostariamos..rs.
Cinquenta e três anos de casada? Realmente é uma obra!! Talvez a mais bonita da sua vida, porque certamente o que você é, hoje, deve ter uma ligação direta com essa vivência.
Obrigada, Maripa, pelos seus comentários e, principalmente, pelo se carinho.
Um beijo enorme

Lucia disse...

Sonia:

Cada um, dependendo de suas motivações pessoais, busca a felicidade em coisas diferentes. O sentimento de busca que nos move é que dá sentido a nossa vida, nos impele a prosseguir sempre, independente das dificuldades. Nos sabemos plenos e realizados quando olhamos a nossa volta e podemos dizer: Valeu a pena! Sou feliz!
Beijos